Essa semana nossa equipe bateu um papo bem legal com o jogador Vinicius “Fluyr” Menegatti da equipe Brazil Team Innova, campeão da Liga GA Profissional de Abril!

Confira abaixo como foi esse bate papo

[TecnoHard News] Primeiramente, gostaríamos de saber sua trajetória como player e também alguns detalhes sobre tua vida (idade,hobby além do csgo etc)
[Vinicius “Fluyr” Menegatti] Fala pessoal, fala galera da TecnoHard.
Meu nome é Vinícius Menegatti Reis, tenho 24 anos e estudo Engenharia Elétrica na Universidade de São Paulo.
Além do game, sou um cara que curte sair pra balada, barzinho, rodízio japonês, jogo do Palmeiras, cinema e tudo que há de bom nessa vida!
Joguei CS 1.5 e 1.6 desde os meus 10 anos de idade, mas só comecei a jogar competitivamente em 2009 com amigos.
Desde então, foram vários campeonatos disputados, sempre na busca de evoluir tecnicamente.

[TH] A gente sabe que ter o apoio da família é essencial para que possamos desempenhar qualquer coisa da melhor forma possível, você recebe esse apoio em casa? O que eles acham de você ser um jogador profissional de CS:GO?
[Fluyr] É um pouco difícil conciliar todas as responsabilidades que a vida nos traz e ainda buscar tempo para ter uma boa dedicação ao game. Por enquanto, não tenho a possibilidade de apenas jogar como os outros times que foram morar nos Estados Unidos e dessa forma ter um crescimento mais rápido dentro do game.
Mesmo assim, tento dar o meu máximo em tudo que faço e dessa forma, evoluir gradativamente.

Minha família sempre viu o jogo como algo que atrapalha o restante, um hobby um pouco exagerado.
Esse ano, quando surgiu a oportunidade de começar a ver o jogo com outros olhos, com mais possibilidades, eu sentei para conversar com eles e explicar o crescimento do jogo, a chegada de várias organizações e patrocinadores. Falei para eles que tentaria me dedicar mais para aproveitar esse auge do CS aqui no país e também lá fora.
Com isso, a visão deles se tornou apenas OK e em breve eu mostrarei pra eles o porquê de tudo isso!

[TH] Gostaria que você comentasse sobre sua ascensão no cenário de CSGO. Como você entrou para o competitivo? Em quais times você já atuou?
[Fluyr] É um pouco curioso… É fato que ninguém imaginava onde o CSGO iria chegar. Comecei a jogar CSGO logo em 2012, próximo ao lançamento. Apesar de em más condições (fps 90), jogava muito MM com a galera que começou a dedicar ali logo no início com ping 100 em server americano!!
O maior atraso que cometemos foi que o CS 1.6 ficou ainda muito tempo dominando o nosso cenário.
Muita gente dedicava ao 1.6 até meados de 2014. Esse foi exatamente o meu caso.
Ainda tínhamos alguns campeonatos de Lan de 1.6 e isso fez com que não focássemos 100% ao CSGO.
Em 2014, quando todos migraram, eu chamei os mesmos amigos de sempre pra jogar! Bonde da Zona Norte de São Paulo: meu irmão Mr. Gabe sGzinho OVER12, MAEDÃO, kenshex, furyBANZA e outros.
Fomos para o primeiro campeonato Lan de CSGO na LGX com essa line de amigos, todos com menos de 100 horas de Global… Chegamos a fazer 11 rounds em uma nuke contra o antigo time da ProGaming.TD (PG.TD)!
Esse jogo, em particular, contra caras que já tinham ali o seu nome e tudo mais, nos mostrou que era a hora de começar a dedicar mais no GO e largar o 1.6 de vez!
Quando as ligas da GA começaram a fazer sucesso, nós surgimos com o apoio da AGT Store (kenshex maeda fluyr fury sea reco).
Depois de um certo tempo, percebemos que precisávamos de jogadores para irmos pra Lan em São Paulo e começamos a jogar com jogadores que confiávamos desde o 1.6.
Foi a line que foi para a Golden Chance ainda com o nome de AGT Store: maeda fluyr kenshex yuji raafa.
Depois desse evento, recebemos o convite de representar a DaiDai. Jogamos a BRMA São Paulo e chegamos ao TOP4 de várias Ligas Profissionais seguidas.
Antes da GA Lan Cup na Arena MAX5, sofremos uma alteração na Line, pois o yuji teve que parar de jogar e chamamos o tatazin para o lugar dele.
Após a triste eliminação na fase de grupos da GA Lan Cup, eu avisei o meu time que eu tinha um projeto pessoal de intercâmbio e que deixaria de jogar com eles.
Isso era meados de Setembro de 2015. Minha viagem estava marcada para final de novembro de 2015.
Antes de viajar, acabei convidando o MAEDA para montar um novo time e acabei me envolvendo com o pessoal do afterall na época (fP fakebrother e cryo^).
Conseguimos ser campeões da Liga Profissional da GA com menos de duas semanas de time.
Fui para o intercâmbio que durou cerca de três meses e logo 1 semana após a minha volta para o Brasil, eu já fui para Campinas disputar o AGE Camp contra uma KeyD Stars no palco! hahaha Complicado…
Duas semanas depois, convidei meu irmão (OVER12) e alguns amigos (MaTTyx, Brnz1k e GW) para jogarmos o qualify pra g3x Cup justamente para ver como eu estava em noção de jogo, como estava minha organização de time e individualmente.
Perdemos apenas um jogo no Qualify para o frequency (NoMercy) e a partir dali, comecei a sentir que ainda era possível organizar bem um time.
Logo no primeiro jogo da g3x Cup, pegamos e batemos de frente contra uma INTZ treinada e jogando em Gaming House. Tudo, simplesmente tudo que os caras faziam eu sabia e comunicava pro meu time.
A partir do bom desempenho do time e da visibilidade do campeonato, muitos observaram que eu poderia voltar a jogar em um nível bom e acredito que foi a partir daí que surgiu o convite para eu entrar na INNOVA, meu time atualmente.

[TH] Você chegou a comentar alguns jogos da Liga da Games Academy e nessa oportunidade você citou que analisa demos e gosta de bolar táticas. Isso ainda continua na Innova ou foi algo que ficou para trás?
[Fluyr] Acredito que isso é algo que não pode ficar pra trás. NUNCA!
A evolução do próprio time está em analisar as próprias demos e encontrar soluções para os próprios erros.
Além disso, toda hora vemos os times criando novas táticas, inovando em setups de CT. Um jogador mais criativo fazendo uma bang diferente…
Enfim, cada detalhe importa demais nesse nível de jogo!
Na INNOVA, nós nos baseamos muito nisso! Todo final de jogo, nós tentamos conversar onde erramos, onde acertamos e como melhorar algo.
Acredito que o convite para a minha entrada na INNOVA, tenha sido feito justamente por causa dessa parte. Gosto muito de organizar o time e dar um aspecto mais inteligente pro jogo.
Após algumas semanas jogando um pouco “fake” e entrosando a comunicação e o CT da line, estamos agora passando para um outro nível, onde estamos trabalhando os mapas um pouco mais taticamente.

[TH] Com a saída do FPG da antiga line da Team Innova, você foi chamado para atuar no seu lugar. Quando você recebeu o primeiro contato do novo time e percebeu que iria ser contratado, como você se sentiu?
[Fluyr] A princípio, contente e surpreso.
Feliz por ser convidado por uma organização séria com uma line de ótimo nível.
Eu conhecia os jogadores ali da INNOVA e inclusive tive a oportunidade de conversar com todos eles durante a g3x Cup.
Surpreso por receber o convite com menos de um mês da minha volta ao cenário competitivo. Abracei a oportunidade e estou me dedicando ao lado dos meus companheiros de time.

[TH] Na temporada do mês de Março vocês ficaram em 4º lugar, porém nessa temporada de Abril vocês foram perfeitos, pois ganharam todos os jogos da fase de Grupos e na fase dos Playoffs, vocês perderam apenas 1 mapa para a CNB na Final. Quando vocês começaram a jogar a temporada de Abril, vocês achavam que seria possível jogar tão bem e ganhar, ou isso veio apenas ao longo do torneio ao ver a evolução do time?
[Fluyr] Eu, particularmente, joguei apenas a decisão de 3º e 4º na temporada de Março, pois entrei na Line da INNOVA justamente nesse período.
Desde então, é visível a evolução do time. Eu consigo observar a melhora na comunicação, o esforço para ganhar um clutch importante, a melhora em alguns setups de CT e também no individual dos jogadores da INNOVA.
Com o bom desempenho dessa line na g3x Cup, acredito que o título estava próximo das mãos deles.
Acreditávamos 100% no título dessa temporada. A gente sempre entrava no servidor muito confiantes contra qualquer time! Os nossos treinamentos vêm dando alguns resultados bons pra gente e estamos nos empenhando para deixar vários mapas entrosados e taticamente perfeitos. Era só uma questão de treinar e ajeitar alguns erros para chegar ao título.
Logo após a minha entrada na Line, já tivemos alguns camps importantes disputados. O camp da BRMA no Rio de Janeiro, por exemplo, foi um camp essencial pra gente conversar ali no hotel, frente a frente, e acertar alguns detalhes.

[TH] Nesse começo de mês de Maio, vários jogadores tem trocado de equipe, organizações sendo desfeitas etc. Como você vê o cenário brasileiro? E gostaríamos de saber se isso pode ocorrer com a INNOVA.
[Fluyr] Atualmente, entendo que o cenário está muito equilibrado em questão de time. Vejo apenas alguns destaques individuais.
Na minha opinião, a agora antiga KeyD vinha se destacando um pouco a frente devido a grande experiência e qualidade técnica dos jogadores que ali estavam.
Creio que a visão mudou. Todos os times agora estão focados para atingirem um nível excelente para que haja a oportunidade de jogar lá fora, a exemplo de Luminosity, Tempo Storm e AlienTech. Existe o investimento, falta a oportunidade e a certeza de que será possível ir jogar lá.
Acredito que essa dança das cadeiras recente, tenha sido feita justamente devido a problemas encontrados em relação a vistos e interesses emergenciais de patrocinadores.
Pode ser algo ruim, pois muitos talentos podem vir a ficar para trás.
Pode ser algo bom, pois através do novo se encontra a motivação para melhorar e evoluir.
Temos que dar o tempo certo para analisar essas mudanças.
Quanto a INNOVA, estamos tranquilos com os rumores que surgiram durante essa semana. Estamos unidos e focados para aprimorar o nosso jogo.
Acredito que essas mudanças possam representar a nossa chegada definitiva ao topo nacional, uma vez que a partir de agora os times começam desentrosados e com alguns pontos a serem evoluídos.
Toda evolução leva tempo e com isso, levamos uma vantagem razoável.

[TH] Se você tivesse o poder de mudar algo no cenário atual, o que você mudaria?
[Fluyr] Acredito que a primeira coisa que precisamos é de mais divulgação.
Estamos mostrando um nível bom de CS aqui dentro e precisamos de uma ajuda um pouco mais ampla para que abram os olhos 100% para o nosso cenário.
Muito vem crescendo o apoio de patrocinadores e organizações, mas precisamos de MAIS para atingir o nosso auge. Queremos ainda mais investimentos!
Gostaria também de ver muito mais campeonatos em Lan! Na Lan a gente vê muito melhor quem é quem. Ali, percebemos quem é bom de verdade! Ali, surgem talentos.
Jogos em Lan te fazem pensar no jogo de forma diferente.
Outra coisa que precisa ser mudada: o sistema de level da GC, vamos parar de ficar atrás de caixotinho pra upar level moçada. O jogo é muito mais do que isso!

[TH] Quais são os planos do time para o futuro? Pretendem viajar para competir fora? Ou vocês preferem focar no BR nesse momento?
[Fluyr] Existe o sonho. Existem conversas, existem planos.
Acredito que lá fora, a evolução aconteça de forma muito mais rápida e mais aprimorada, uma vez que se encontra um alto nível de jogo e morar em uma gaming house te dá a oportunidade de vivenciar 100% o jogo.
O foco é aprimorar cada detalhe aqui por enquanto para quando surgir a oportunidade, estarmos muito bem preparados para tentar bater de frente com os times lá de fora.

[TH] Para finalizar, a TecnoHard News gostaria de lhe agradecer por ter nos concedido essa entrevista, e agora cedemos esse espaço para que você fale o que quiser!
[Fluyr] Agradeço o convite da galera da TecnoHard!
Gostaria de agradecer a todo o apoio dos meus parceiros de time iDk, chelo, tt e kNight.
Agradecer a organização da INNOVA (Renato, Marcelo e Wokin), ao apoio da Tomboy e da HyperX.
E gostaria também de mandar um abraço a todos que me apoiam e que torcem por mim 

Siga o FLUYR nas redes sociais:

facebook twitch snapchat

Gostaríamos também de agradecer ao Ricardo “qep” Fugi por ter nos ajudado na realização dessa entrevista.

COMENTÁRIOS